Para empresas com propósito e estratégia o Black Friday é apenas uma oportunidade que pode ser aproveitada. Para as outras não há opção.

O Black Friday está aí e as empresas se mobilizaram de diversas maneiras para aproveitar a data.

Não há nada de errado nisso.

É como cada empresa está posicionada em relação a isso que faz a diferença. Pois muitas, talvez a maioria, dependem enormemente da data para garantir a própria sobrevivência.

Aqui no Brasil essa situação é até compreensível, afinal ainda estamos sob os efeitos da maior recessão de nossa história e todos de alguma maneira foram impactados por essa crise.

Mas, como dizem os americanos, vamos analisar o “Big Picture” ou em tradução livre, vamos analisar o cenário maior.

Sabemos que o varejo digital vem crescendo em números absolutos apesar da crise, ou graças a ela. Mas é também verdade que a escalada desse crescimento foi fortemente impactada pelo cenário econômico. Em 2016 o crescimento percentual foi de menos de um terço do ano anterior, de apenas 5,2% contra 16% em 2015 e 25,9% em 2014 segundo dados da EBIT.

Já o Varejo tradicional de tijolo e cimento vem sofrendo muito mais. Após meses com índices negativos vem apresentando uma tímida retomada com índices positivos desde julho, mas ainda com números abaixo de 4%.

Há aí uma mudança estrutural nos hábitos de consumo com uma predominância do digital. As previsões apontam para uma virada importante com 51% das compras de Natal sendo realizadas pela internet segundo a pesquisa de Natal 2017 da Delloitte. É esperar para confirmar.

Não é coincidência e muito menos sorte!

Apesar de todas as dificuldades, há quem encontre caminhos para enfrentar e superar as crises que sempre vem.

Empresas tão diferentes como Carrefour, Boticário, Raia Drogasil, Magazine Luiza, Makro, Riachuelo, Renner e C&A, para citar alguns vem crescendo de forma consistente em meio a tempestade, com números que variam de 5 a 25% de crescimento. Fonte: Ranking Novarejo Brasileiro.

Ao invés de ficarem acuadas e amedrontadas, estas empresas, cada uma a sua maneira, puseram em prática estratégias bem-sucedidas. Investiram no aumento do número de lojas e aumento de eficiência.

Propósito e estratégia

Além da indispensável competência gerencial estas empresas têm também uma história sólida, uma narrativa e um propósito. Organizações sem propósito, carecem da força motriz necessária para seguir em frente de forma integrada, em todos os níveis hierárquicos com engajamento e motivação.

Não se trata de achar que seguir em frente e prosperar é um “passeio no parque”, sem erros e perdas no percurso. É certo também que exige muito, muito esforço, dedicação e muitas vezes sacrifícios.

Mas é fato que sem um propósito e sem valores estas corporações não teriam um valioso ativo que permite enfrentar e superar os desafios com menos desgastes e consequências indesejáveis no processo.

Segundo estudo feito por um time da Harvard Business Review Analytics e a EY’s Beacon institute: As empresas capazes de aproveitar o poder de propósito para impulsionar desempenho e rentabilidade gozam de uma vantagem competitiva distinta”.

Em resumo. Empresas com propósito além dos lucros tem melhores resultados financeiros.

Isso revela um surpreendente paradoxo. As empresas mais lucrativas não são aquelas mais focadas e orientadas para o lucro.

Assim, a pesquisa define o propósito como:

“Uma aspiração pelo ser, que inspira e fornece um apelo à ação para uma organização, seus parceiros e partes interessadas beneficiando a sociedade local e global” Fonte: Financial Times

Parece irreal e sonhador, mas é fato comprovado.

Por isso é recomendável rever os conceitos de como conduzir uma empresa e recolocá-la nos trilhos com novas premissas e valores.

A consequência é que estas empresas são menos vulneráveis às flutuações de mercado e gozam de uma maior solidez para sustentar suas decisões estratégicas.

É claro que para muitas dessas organizações interessa aproveitar datas promocionais como o Black Friday, mas elas podem se dar ao luxo de participar por opção e não por sobrevivência.

“Uma vida sem propósito é uma morte prematura”

Goethe